0 17 outubro

Socorro Deus! Precisamos de chuvas!

De um lado eleições em meio a denúncias de corrupção, mentiras, roubo, manipulação, jogo de interesses, igreja adoecida e dividida. Do outro lado uma seca que atinge grande parte do território brasileiro reflete nossa situação espiritual. Estamos como terra seca. Precisamos da intervenção do Senhor. Muitos de nós tem se contentado com um relacionamento raso com Deus, vivendo uma vida de absoluta mornidão espiritual. O morno, como está escrito em Apocalipse 3:16, Deus vomitará de sua boca. Ficamos iludidos pela sensação de prosperidade e nos esquecemos de ser ricos para com Deus. De viver uma vida piedosa e pura, sem segundas intenções. Não sabemos adorar a Jesus, não sabemos nos render diante dele simplesmente porque não nos aprofundamos em conhecê-lo. E como ele mesmo disse, “nós adoramos a quem conhecemos”. Ah como precisamos dele!

Vivemos dias como os de Joel, onde a necessidade e a crise eram tão grandes, que eles não tinham sequer o que oferecer ao Senhor dentro do seu contexto de culto. Assim como naqueles dias, é tempo de nos voltarmos para o Senhor. Creio que o mesmo chamado de Deus ao arrependimento ecoa nesses dias… Joel 2:12-17

“Agora, porém”, declara o Senhor, “voltem-se para mim de todo o coração, com jejum, lamento e pranto.” Rasguem o coração, e não as vestes. Voltem-se para o Senhor, o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor; arrepende-se, e não envia a desgraça. Talvez ele volte atrás, arrependa-se, e ao passar deixe uma bênção. Assim vocês poderão fazer ofertas de cereal e ofertas derramadas para o Senhor, o seu Deus. Toquem a trombeta em Sião, decretem jejum santo, convoquem uma assembléia sagrada. Reúnam o povo, consagrem a assembléia; ajuntem os anciãos, reúnam as crianças, mesmo as que mamam no peito. Até os recém-casados devem deixar os seus aposentos. Que os sacerdotes, que ministram perante o Senhor, chorem entre o pórtico do templo e o altar, orando: “Poupa o teu povo, Senhor. Não faças da tua herança objeto de zombaria e de chacota entre as nações. Por que se haveria de dizer entre os povos: ‘Onde está o Deus deles?’

Que o Espírito Santo nos leve a um propósito de jejum, oração e arrependimento pela nação e igreja brasileira.

10612538_872019189489086_3620328027279348164_n
0 07 outubro

Deus não desistiu…

Hoje pela manhã li em Lucas 8:35-39 a história de Jesus libertando um homem geraseno que estava endemoninhado há muito tempo. Ele permitiu que a legião de demônios entrasse numa manada de porcos e estes os jogaram de um precipício, deixando o homem totalmente são.

O interessante é que, apesar disso, o povo daquela região ficou tão aterrorizado que pediu a Jesus que fosse embora de suas terras. Rejeitaram o libertador. Rejeitaram o salvador. Rejeitaram aquele que seria a única fonte real de esperança para eles. Preferiram zelar por seus interesses próprios.

O bom é que Jesus não desistiu deles. Deixou por lá alguém que carregava em si as marcas da libertação. Um novo missionário. Alguém que tinha começado a viver. Alguém cheio de esperança. Alguém que um dia foi prisioneiro, sem voz, sem memória, sem honra, sem dignidade, mas que agora foi liberto. Um novo alguém. Alguém que agora carregava Jesus no peito e que por entender quem ele era, permitiu que ele se tornasse Senhor de sua vida.

Por isso tinha esperança para os gerasenos. Eles ainda teriam chance de conhecer Jesus. Ainda que fosse em outras ocasiões, a graca de Deus poderia alcançá-los. Eles perderam uma grande oportunidade, mas Deus não desistiu deles.

Deus não desistiu do Brasil.

1 26 setembro

Imperfeitos mas unidos

“Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade.”Eclesiastes 4:12

É fácil e conveniente andar com quem pensa e age da mesma forma que nós, porque nos dá uma falsa sensação de unidade. Porém, unidade não é uniformidade.  Unidade é a comunhão que existe por causa de um mesmo fundamento, que é Jesus, e de um mesmo Espírito: o Espírito Santo de Deus.

Dentro do corpo de Cristo temos funções e lugares diferentes mas, todas as partes e funções são importantes, cada um tem um papel diferente a desempenhar. Ao contrário do pensamento corrente, ninguém é substituível, porque cada um de nós é um ser humano único. Somos muito diferentes, mas nos tornamos um por causa do cabeça que é Jesus, por causa do seu Reino e da sua justiça.

Numa época onde se propaga cada vez mais relacionamentos virtuais e superficiais, nem sempre as pessoas tem paciência e disposição para lidar com imperfeições, ou com  essas diferenças que nos fazem únicos. É fácil tratar pessoas como descartáveis e relacionamentos como fast food. Por isso é essencial que nos tornemos mais pacientes e maleáveis a fim de criar relacionamentos duradouros e saudáveis.

Juntos somos vitoriosos. Juntos cumprimos os propósitos de Deus. Juntos vamos mais longe. Não podemos  desistir da igreja. Talvez a vejamos apenas como uma noiva imatura e incapaz por causa de seus erros. Mas Jesus a vê como amada, auxiliadora, herdeira do Reino, lavada, justificada e santa. Pelo poder do Espírito Santo, pela palavra de Deus, ela estará pronta no grande dia do Senhor. Permaneça sendo igreja!

2 08 setembro

Goiânia/GO

Videira

Final de semana no Congresso Radicais Livres.

 

1 21 julho

Ribeirão Preto/SP

foto (3)

 

Sábado à noite na Conferência Caçadores de Deus. Tempo precioso! Foto @kathrosana

2 15 julho

Além Paraíba/MG

Queremos agradecer a Deus por tudo o que aconteceu em Além Paraíba-MG neste domingo.
A todos que compareceram nosso carinho e agradecimento.
Se você esteve conosco  insira sua foto do evento ou testemunho nos comentários.

12 06 maio

As cicatrizes do amor

Depois do parto passei a sentir muita dor nas articulações das mãos, por causa da intensa movimentação para cuidar das minhas bebezinhas. Num desse dias orei pedindo ao Senhor que curasse minhas mãos. Senti o Senhor me responder: essa dor é uma marca de amor.
Mesmo depois da ressurreição Jesus continuou carregando as cicatrizes dos cravos e da lança que perfuraram suas mãos e um lado do seu corpo.

Imediatamente me veio a memória o texto de João 20:24-31:
” Tomé, chamado Dídimo, um dos Doze, não estava com os discípulos quando Jesus apareceu. Os outros discípulos lhe disseram: “Vimos o Senhor!” Mas ele lhes disse: “Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei”.  Uma semana mais tarde, os seus discípulos estavam outra vez ali, e Tomé com eles. Apesar de estarem trancadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “Paz seja com vocês!”E Jesus disse a Tomé: “Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. “Pare de duvidar e creia”. Disse-lhe Tomé: “Senhor meu e Deus meu!” Então Jesus lhe disse: “Porque me viu você creu? Felizes os que não viram e creram”.  Jesus realizou na presença dos seus discípulos muitos outros sinais miraculosos, que não estão registrados neste livro. Mas estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, crendo, tenham vida em seu nome.”
É interessante observarmos que mesmo apos receber um  corpo glorificado quando ressuscitou as marcas do sofrimento permaneceram em Jesus. Como Deus, todo poderoso, ele poderia ter ressuscitado sem nenhum vestígio do sofrimento pelo qual havia passado, sem nada que fizesse menção aos cravos e marteladas que pregaram suas mãos na cruz. Sem o rasgo que a lança do soldado fez ao lado do seu corpo. Sem sequer fazer menção da vergonha da cruz. Mas, ele preferiu carregar consigo essas marcas, como marcas do seu amor por nós até mesmo na eternidade. Deus valoriza os memoriais, vemos isso no decorrer das escrituras.
A condição para que Tome cresse na ressurreição era ver e tocar essas marcas. Jesus amou Tome a ponto de respeitar sua incapacidade de crer sem ver. Apesar de afirmar que eram felizes os que não viram e creram. Jesus mesmo assim mostrou a Tome as marcas que comprovavam seu amor e respondeu suas duvidas geradas pela falta de fé. Essas marcas fazem parte de quem Jesus é e comprovam seu amor por nós.
Em breve nós veremos Jesus: lindo, glorioso, com as cicatrizes em suas mãos e em seu corpo. Cicatrizes que nos fazem lembrar a cruz que ele carregou, do quanto ele sofreu e de como ele morreu e ressuscitou por nos amar com um amor tão profundo e eterno.
Minhas mãos? Por enquanto seguem com as pequenas marcas do amor que sinto por minhas filhinhas.

6 27 março

Descobrindo El Shaddai

Ser mãe tem sido uma das experiências mais intensas e maravilhosas que já vivi. Ter filhos é experimentar na integra o significado do amor, da doação, da renúncia do “eu” em prol de outro ser humano. É um amor que nasce, explode dentro da gente e se manifesta em ações diárias. Por um filho a gente perde noites de sono, a gente suporta a dor, a gente deixa de fazer o que gosta e o que nos é lícito, só para passar mais tempo cuidando de pertinho desses seres tão pequenos e dependentes.

À luz da intensidade do amor de mãe, o que Deus fez pelo ser humano se torna absolutamente profundo e intrigante. Se doar por um filho é compreensível, mas doar um filho por amar alguém (no caso, o mundo) é algo que não dá para eu alcançar na minha ótica de mãe.
Criar filhos dá muito trabalho. Filhos gêmeos então nem se fala! Mas cada olhar, cada sorriso, cada pequena descoberta delas me faz tão feliz! Sinceramente, não dá mais para imaginar a minha vida sem as minhas filhas. Daria a minha vida por elas, mas não consigo, nem de longe, conceber a idéia de entregar uma de minhas meninas à morte. Mas foi isso que Deus fez. Ele amou a humanidade com uma intensidade tal, que deu o que de mais precioso ele tinha: a vida de seu filho amado Jesus.

Como Deus preferiu a humanidade transgressora e perdida a despeito da vida de seu santo e perfeito filho? Para nós não faz sentido. Isso é algo que se entende apenas sob a ótica eterna de Deus. O fato é que Deus Pai nos ama com a mesma intensidade com que ama seu filho Jesus, e não queria que vivêssemos eternamente separados da sua comunidade de amor (Pai, Filho e Espírito Santo). Ele sabia que seu amor era grande e poderoso o bastante para vencer os grilhões do pecado e da morte. Jesus, o filho amado de Deus, ressuscitou ao terceiro dia e tem toda autoridade no céu e na terra. Por causa de seu sacrifício perfeito nós fomos perdoados e somos também feitos filhos de Deus.
O amor de Deus foi capaz de romper as barreiras da eternidade para alcançar e resgatar o ser humano da miséria do pecado. Que privilégio desfrutar de um amor maior e mais perfeito que o amor humano.  Ele é chamado de El Shaddai, o Deus Todo Poderoso, para gerar e nutrir todos os seus filhos.

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;” João 1:12

6 19 março

A viúva de Naim

A Bíblia nos relata no livro de Lucas 7:11-17,  a história de uma mulher que vivia em Naim e recebeu a intervenção de Jesus na sua vida.

Naim, que em hebraico significa a bela, a graciosa, era uma aldeia construída nas proximidades de Hermom, a sudoeste de Nazaré.

Jesus ressuscitou o único filho da viúva de Naim. Ela havia perdido tudo, o marido, o filho e a partir dali consequentemente viveria desamparada, à margem da sociedade. Naquela época, sem o cuidado de seu filho, as opções de vida para aquela mulher seriam provavelmente a mendicância ou a prostituição. Mas onde Jesus entra o curso da história muda.

Jesus não se omitiu diante da aflição da pobre viúva de Naim, mas sensibilizou-se, consolou-a, tocou e libertou seu jovem filho do poder da morte, devolvendo-o vivo à sua mãe.

Vivemos numa sociedade onde o capitalismo impera e geralmente as pessoas não se preocupam tanto com as necessidades dos outros. A lei vigente é do salve-se quem puder! Quem não tem dinheiro é excluído da sociedade, porque não pode consumir. O egoísmo envenena a alma e torna o ser humano mais e mais individualista. Jesus, entretanto, nos ensina a viver na contramão da mentalidade capitalista e nos estimula a entender e buscar pelos valores de seu Reino. Ele é sensível, consola a mulher e muda o curso da sua vida de forma maravilhosa.

Alguns dos sinais do Reino e da presença de Deus são, além da mudança de caráter, a restauração da esperança e da dignidade do ser humano. Como corpo de Cristo sejamos agentes de transformação e de restauração da dignidade de outros. Que se manifestem os filhos de Deus!

 

“E aconteceu que, no dia seguinte, ele foi à cidade chamada Naim, e com ele iam muitos dos seus discípulos, e uma grande multidão;
E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade.
E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores.
E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o que fora defunto assentou-se, e começou a falar.
E entregou-o à sua mãe.
E de todos se apoderou o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta se levantou entre nós, e Deus visitou o seu povo.
E correu dele esta fama por toda a Judéia e por toda a terra circunvizinha.”
Lucas 7:11-17

 

6 04 fevereiro

O endemoninhado Gadareno

Lucas 8:26-39

Jesus sempre preferiu a dignidade humana à despeito das questões culturais e econômicas de sua época. Para ele o zelo pelo ser humano é mais importante do que o zelo pelas coisas. O povo gadareno se esqueceu de prezar pela dignidade daquele homem. Preferiam vê-lo endemoninhado, sujo, nos sepulcros, vivendo feito bicho, do que comprometer sua economia e seus interesses. É triste quando os valores de uma sociedade são tão distorcidos a ponto de tornar o ser humano, a quem Deus ama, alguém sem valor, um mero objeto para se alcançar e manter objetivos. Jesus restabelece esses valores e mostra que pessoas valem mais do que coisas. Anunciar Jesus a uma sociedade corrompida significa caminhar contra os interesses de culturas que cooperam, promovem e aprovam a opressão e o endemoninhamento de pessoas. O Reino de Deus não compactua com os aspectos opressores das diversas culturas existentes.

6 31 janeiro

Parábola da Candeia – Quem tem ouvidos ouça!

Lucas 8:16-18
“Ninguém acende uma candeia e a esconde num jarro ou a coloca debaixo de uma cama. Ao contrário, coloca-a num lugar apropriado, de modo que os que entram possam ver a luz. Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz. Portanto, considerem atentamente como vocês estão ouvindo. A quem tiver, mais lhe será dado; de quem não tiver, até o que pensa que tem lhe será tirado”.

O evangelho (luz) não veio para aprovar ou para ser conivente com as obras das trevas, pois o propósito dele é reprová-las. Jesus disse em João 15:22- ” Se eu não tivesse vindo e lhes falado, não seriam culpados de pecado. Agora, contudo, eles não têm desculpa para o seu pecado”.

A luz do evangelho revela a verdade de quem realmente somos.
Jesus nos adverte a “considerar como ouvimos”, ou seja, aquilo sobre o que recebemos luz (revelação) precisa se adequar ao estilo de vida do reino de Deus. O conhecimento que recebemos nos traz responsabilidade.

A luz, revelação da pessoa de Deus, aperfeiçoa os que buscam caminhar nela, assim como denuncia aquilo que é falso e sem uma verdadeira essência. Quando tentamos caminhar à luz do evangelho recebemos ainda mais luz (revelação de Deus) para que a nossa vida e as nossas atitudes sejam cada vez mais transformadas à semelhança de Jesus. Aquilo que em nós é meramente superficial será denunciado pela luz (revelação de Deus) de forma que o que pensávamos ser algo puro pode se revelar apenas  como justiça própria, trapo de imundície aos olhos de Deus.

Que não sejamos negligentes em relação à verdade de Deus que já recebemos. Que nossa vida venha a se adequar ao estilo de vida do reino de Deus.

13 10 janeiro

A Espera

A espera (1)

“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,
E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.
E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” Romanos 5:3-5

Esperar não é fácil. Principalmente em tempos onde se nutre uma mentalidade imediatista e onde resultados imediatos nos são constantemente cobrados. Nos dias de hoje, parece que só tem valor quem “mostra serviço”. A espera às vezes nos torna aparentemente inoperantes, nos traz um sentimento de inutilidade e de estarmos perdendo tempo.

Sim, existem tempos em que é preciso agir e não apenas esperar que algo caia nas nossas mãos. Mas a espera às vezes é necessária. Afinal, ela é uma oportunidade de crescimento, amadurecimento. Na caminhada da vida, e também na caminhada com Jesus, é necessário amadurecer, progredir, ter menos de si e mais do caráter de Jesus, aprender a ouvir o “não” com a mesma prontidão e simplicidade com que se ouve o “sim”. Amadurecer é deixar os fundamentos bem firmes para que um “algo mais” possa ser acrescentado (Hebreus 6:1-3). Amadurecer dá trabalho. Exige que estejamos exercitados para saber diferenciar o que é precioso daquilo que é sem valor (Hebreus 5:13).

Talvez para você, assim como para mim, esse processo de espera e amadurecimento esteja levando mais tempo que você esperava. Ah como é frustrante quando cometemos os mesmos erros e precisamos ser exercitados e provados por Deus novamente!

A boa notícia é que ele não nos ama mais ou menos por causa do nosso nível de maturidade. Ele nos ama assim como ama seu filho Jesus. Ele nos vê através do sacrifício eterno de Cristo. Por ele somos feitos justiça de Deus e seu amor se propõe a fazer com que estejamos prontos para o grande dia do encontro. Ele espera pacientemente que nós demos passos em direção à maturidade e ao conhecimento dele. Deus sabe esperar. Isso porque ele conhece os tempos, tem nossa história em suas mãos soberanas e garante que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que o amam.

Esperar é uma virtude de quem tem olhos no futuro invisível, ao invés de focar no imediato que está diante dos olhos. Só quem crê, conhece e confia no caráter de Deus, é capaz de esperar. A esperança é fruto de uma visão e expectativa da eternidade perfeita em Jesus. Só esperamos com paciência por aquilo que realmente vale à pena. E por Jesus vale à pena esperar. Nele nossas esperanças jamais serão frustradas, jamais se perderão. Ele próprio é a recompensa mais que perfeita para aquele que espera.

Que a visão do nosso futuro em Jesus seja ampliada, para que as dores e as renúncias da espera não nos amargurem.

 

10 04 dezembro

CD 10 anos Nívea Soares

Já está disponível em nossa loja www.lojaniveasoares.com o CD comemorativos 10 anos de caminhada de Nívea Soares. Não perca a oportunidade e adquira já o seu!

4 02 dezembro

Itabira/MG

Nossa ultima ministração deste ano em Itabira. Toda glória a Jesus pela salvação de vidas e pelo renovo do Espírito Santo sobre nós! Agradecemos o carinho e cuidado dos irmãos para conosco. Grande abraço!
0 28 novembro

Projeto unidos para a tua glória!

http://www.youtube.com/watch?v=5RHHIcwWyR4

0 26 novembro

Nosso pior inimigo

Tiago 4:4-7

“Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz- se inimigo de Deus. Ou vocês acham que é sem razão que a Escritura diz que o Espírito que ele fez habitar em nós tem fortes ciúmes? Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a Escritura: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.
Portanto, submetam- se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês.”

Nosso maior inimigo não é o diabo. É a nossa carne que se inclina diante das seduções deste mundo. A carne só é mortificada quando sujeitamos nossa vontade a Deus. O Espírito Santo nos capacita a caminhar em obediência.
Quando buscamos viver em obediência ao Senhor, resistimos a satanás, o tentador, e ele foge de nós. Nossa autoridade vem da obediência a Deus.
Espírito Santo, nos ensine a caminhar em obediência ao Senhor para que nosso testemunho seja relevante em meio à corrupção deste mundo! Em nome de Jesus, amém!

0 26 novembro

Nosso pior inimigo

Tiago 4:4-7

“Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz- se inimigo de Deus. Ou vocês acham que é sem razão que a Escritura diz que o Espírito que ele fez habitar em nós tem fortes ciúmes? Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a Escritura: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.
Portanto, submetam- se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês.”

Nosso maior inimigo não é o diabo. É a nossa carne que se inclina diante das seduções deste mundo. A carne só é mortificada quando sujeitamos nossa vontade a Deus. O Espírito Santo nos capacita a caminhar em obediência.
Quando buscamos viver em obediência ao Senhor, resistimos a satanás, o tentador, e ele foge de nós. Nossa autoridade vem da obediência a Deus.
Espírito Santo, nos ensine a caminhar em obediência ao Senhor para que nosso testemunho seja relevante em meio à corrupção deste mundo! Em nome de Jesus, amém!

3 25 novembro

Gerando Cristo em nós

 

Gerar algo novo não é uma tarefa fácil. Exige disciplina, autocontrole, reconhecimento de seus limites e resignação.

Estou passando pela maravilhosa experiência de gerar dois seres humanos dentro de mim e tem sido um tempo de renúncia e de muitas mudanças tanto físicas como emocionais. Minha barriga está crescendo dia após dia, minhas roupas já não me servem mais, não posso comer qualquer coisa e nem ir aonde eu quiser. É um tempo de muita introspecção, e mesmo ainda não tendo o privilégio de segurar minhas filhas no colo, penso detalhadamente no futuro delas. São nove meses de grande expectativa e muito investimento na saúde e no bem estar delas. A mulher começa a ser mãe ainda na gestação. Não é um processo fácil ou rápido.

Vivemos num tempo regido pelo imediatismo, onde nos acostumamos com a praticidade da tecnologia e a tendência é não nos atermos àquilo que nos demanda tempo ou nos custe algo. Renuncia é uma palavra que tem se tornado obsoleta nos dias atuais. Mas, as palavras de Jesus ainda ecoam sobre nós: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Lucas 9:23

Seguir a Jesus demanda perseverança. Nossa transformação é um processo contínuo até que Jesus venha ou que nos encontremos com ele.
Assim como não existe beleza aparente numa lagarta encasulada, nossas imperfeições se tornam muito evidentes quando passamos pelo processo de transformação. São duas naturezas opostas em conflito constante.
Para que o caráter de Cristo seja gerado em nós, a natureza de Deus entra em confronto com a nossa natureza de pecado. Venceremos permanecendo em Jesus.

Há uma glória que espera para vir à luz depois das renúncias e das lutas pelas quais passamos. Cristo em nós, a esperança da glória!

“Meus filhos, novamente estou sofrendo dores de parto por sua causa, até que Cristo seja formado em vocês.” Gálatas 4:19

0 25 novembro

Curitiba/PR – Congresso Livres

Ministrando neste final de semana no congresso Livres. Tempo precioso de comunhão com irmãos e matando saudades dos amigos.

1 18 novembro

Curitiba/PR

Ministrando a palavra no Congresso For God . Acesse o link http://www.comunidadealcance.com.br/site/culto-ao-vivo/